Por Que é Que as Crianças Não Aprendem?

crianca estudar

A maior parte das dificuldades surgem por desmotivação, não por incapacidades neurológicas: a conclusão é de Nelson Lima, neuro-psicólogo e director do Instituto de Inteligência, que há anos vem organizando estudos, orientando professores, apoiando as crianças e chamando a atenção para a ineficácia do actual sistema de ensino.

‘As crianças sentem-se perdidas e não percebem para que serve a escola. Tal como os incêndios e os desastres de automóvel, acho que também na escola estamos em estado de calamidade nacional.’

Foi o Instituto da Inteligência que lançou o alerta: 1 em cada 3 alunos portugueses tem dificuldades de aprendizagem, número escandaloso para qualquer país e que, ainda por cima, tem tendência a aumentar.

‘Há uma quase obsessão em querer ensinar muita coisa às crianças em pouquíssimo tempo’, nota Nelson Lima. ‘O que a escola devia fazer nos primeiros anos era dar noções gerais do que é a vida. Mas um aluno de 12 anos tem 15 disciplinas! Como é que pode aprender alguma coisa?’ Quinze disciplinas que depois se reflec-tem na forma desmesurada como aconte-cem os trabalhos de casa. Estranhamente (ou talvez não.), e segundo um estudo europeu, somos um dos países com piores resultados escolares e o país europeu que mais tempo dedica aos trabalhos de casa.

O neuropsicólogo conta o caso de uma criança de 11 anos que lhe chegou com uma estranha missão: ‘Passou o dia aflitíssima porque tinha de fazer um trabalho sobre a Bósnia-Herzegovina. E sobre o Alentejo é capaz de não saber nada. Entretanto, o irmão estudava exaustivamente a Albânia. Isto tudo, feito desta forma, é um disparate pegado!’ Tudo somado, contribui para o stresse diário de muitas famílias.

Pais com tempo e cultura suficientes ou dinheiro para pagar a explicadores são capazes de dar uma ajuda. Mas muita gente se sente aflita. ‘Os miúdos vêem-se a braços com imensa informação que se refugia em palavrões. ‘Um buraco negro é conhecido como um sorvedouro cósmico’, para miúdos de 11 anos, acha normal?’, questiona Nelson Lima. ‘O importante era dar-lhes algumas noções básicas, mas bem dadas. Actualmente, com tanta matéria que lhes impingem, qual é o resultado? É que não fica lá nada! Eles não sabem nada do mundo! E esta é a geração que há-de chegar um dia ao poder!’

É URGENTE A EDUCAÇÃO EMOCIONAL


A obsessão de querer ensinar tudo em pouco tempo faz com que estejamos a cultivar a ignorância, por recusa inconsciente em aprender. ‘A ansiedade e o stresse estão a aumentar de forma assustadora nas crianças. E muitos pais, embora se queixem destas anomalias, são os primeiros a defender o modelo de escola actual, porque é a escola que eles próprios tiveram‘, revela Nelson Lima.

Resolver as coisas passaria por reduzir a carga programática. ‘Aligeirar as coisas não seria retirar qualidade, seria dar às crianças mais tempo para falarem sobre o mundo delas e acrescentar coisas que faltam: ensiná-las a pensar e a estudar. Tornar as crianças seres pensadores.’ Isto evitaria percursos de aprendizagem trágicos e completamente destruidores de vidas, evitaria, por exemplo, que tanta gente chegasse à universidade com a impressão de que escolheu o curso errado. ‘A educação emocional deveria ser uma disciplina mais importante que a Moral. As crianças conhecem-se muito pouco a elas próprias. Elas nunca sabem dizer quem são, não conhecem as suas próprias virtudes e qualidades. E isto é perigosíssimo.’

estudar aprender

Nelson Lima propõe mudanças que podem ser feitas pelos próprios pais, pois mudar o sistema de ensino é mais complicado: ‘Podemos ajudar as crianças a organizarem-se de modo a que não fiquem muitas horas a estudar. Vinte minutos com um intervalo de dez minutos, depois mais vinte minutos.’

E, principalmente, fazer tudo para que pelo menos o fim-de-semana fique livre de trabalhos.‘Fujam dos shoppings, vão apanhar ar livre, vão passear a parques, jardins, montanhas, vão para onde quiserem mas que seja ao ar livre e onde possam correr. O importante é quebrar a rotina para diminuir os níveis de stresse que estão a aumentar cada vez mais nas crianças. É a única forma de os defender. O resto teria de levar uma volta inteira, por forma a implantar medidas inteligentes não tão ambiciosas sob o ponto de vista académico. Isto já não vai com uma reforma, mas com uma revolução!’

estudar aprender

fonte

Mais coisinhas para crianças:


Comments

comments

Powered by Facebook Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *